Carregando tradução..
Carregando...
(14) 3224-1400

Últimas notícias

Nova fase do Minha Casa Minha Vida
14/01/16

Promessa de campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff, a terceira etapa do Minha Casa Minha Vida saiu do papel neste mês, um ano depois do início do segundo mandato da petista, mas deixou de fora a população que mais precisa do programa de habitação popular. As contratações com as novas regras da terceira fase só começaram para as chamadas faixas 2 e 3 do MCMV, famílias com renda mensal de até R$ 3,6 mil e R$ 6,5 mil, respectivamente.

 

Por causa da frustração de recursos, não há previsão oficial de quando começarão as contratações para as famílias que ganham até R$ 1,8 mil por mês, pertencentes à chamada faixa 1 do programa. Para esse público, o subsídio - com recursos do Orçamento Geral da União (OGU) - pode chegar até 95% do valor do imóvel.

 

A promessa de construção de 3 milhões de moradias no segundo mandato foi usada durante a campanha eleitoral, mas o lançamento do programa foi adiado várias vezes, principalmente por causa do ajuste fiscal em curso. O orçamento de 2016 do programa caiu de R$ 15,5 bilhões para R$ 6,9 bilhões.

 

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), ligado à Presidência da República, estima que, para resolver o problema da falta de habitação digna no País, seria preciso construir 5,24 milhões de residências. Já se admite, nos bastidores, que o governo não cumprirá a promessa de construir 3 milhões de residências até 2018.

 

Nova faixa


A grande novidade da terceira etapa do MCMV, a criação de uma faixa intermediária, também está emperrada e não apenas pela frustração de receitas. Falta uma regulamentação do Ministério das Cidades, que ainda trabalha na maneira como se dará a seleção das famílias, pelas prefeituras ou construtoras. Segundo as regras do programa, a faixa 1,5 contempla famílias com renda mensal de até R$ 2.350. Esse público terá um desconto de até R$ 45 mil por moradia, de acordo com a localidade e a renda. Além disso, pagará 5% ao ano no financiamento pelas modalidades SAC (Sistema de Amortização Crescente) ou Tabela Price, num prazo de até 360 meses.

 

No faixa 1, as prefeituras controlam a lista dos interessados, que precisam se inscrever de acordo com as regras do governo federal. As administrações municipais usam essa lista como "trunfo político".

 

A ideia do Ministério das Cidades era que se criasse um cadastro único para que os próprios beneficiários do programa pudessem se inscrever e acompanhar as etapas de seleção, sem o controle das prefeituras. As famílias que se enquadrassem na faixa 1,5 poderiam obter uma espécie de "carta de crédito" para ser usada. No entanto, esse cadastro ainda não foi criado. Além disso, há preocupação do mercado com a análise de risco dessas famílias, uma vez que elas contratarão um financiamento. No faixa 1, é possível até mesmo que contemplados com nome sujo tenham direito à casa.

 

Outro empecilho para tirar o faixa 1,5 do papel diz respeito à contrapartida do Tesouro Nacional nesses financiamentos. O FGTS ficaria com 82,5% dos subsídios e o Tesouro com os outros 17,5%. O governo deixava o fundo arcar com a totalidade dos subsídios e saldava a dívida depois. No entanto, a prática, também considerada "pedalada fiscal", foi condenada pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O governo não quer repetir o mesmo erro.

 

No MCMV 3, o governo aumentou o valor dos imóveis que podem ser financiados nas faixas 2 e 3 - para o intervalo entre R$ 90 mil e R$ 225 mil, de acordo com a localidade. Também teve aumento nas taxas de juros dos financiamentos das faixas 2 e 3 que são pagos pelas famílias. Beneficiários com renda de até R$ 2,7 mil terão juros de 6% ao ano. Os com renda de até R$ 3,6 mil, 7%. Na faixa 3, até R$ 6,5 mil de renda, os juros anuais serão de 8%.

 

No anúncio das condições da terceira fase, em setembro de 2015, o governo também divulgou aumento no valor das prestações que os beneficiários da faixa 1 precisam pagar. Nas outras duas etapas, era de, no mínimo, 5% da renda. Na terceira etapa, as famílias com renda de até R$ 800 pagarão parcela de R$ 80; entre R$ 800 e R$ 1,2 mil, o valor será correspondente a 10% da renda; de R$ 1,2 mil a R$ 1,6 mil, de 15%; e de R$ 1,6 mil a R$ 1,8 mil, de 20%.


Fonte: O Estado de S. Paulo.






Últimas notícias
 07/11/16 - China quer expandir reforma tributária do setor imobiliário
 07/11/16 - MRV tem alta de vendas no 3º tri, distratos caem 25%
 07/11/16 - Venda de imóveis tem primeira alta após 13 meses
 08/10/16 - Bancos são autorizados a financiar imóveis de até R$ 1,5 milhão
 09/09/16 - Caixa volta a oferecer financiamento de imóveis mais barato
 08/08/16 - Saiba quais itens os inquilinos mais buscam nos imóveis
 08/08/16 - Comprar um imóvel novo ou usado? Dicas ajudam a avaliar a melhor
 08/08/16 - Caixa vai financiar imóveis de até R$ 3 milhões
 13/06/16 - Caixa descarta aumento de juros para financiar casa própria
 03/06/16 - Melhora nas perspectivas abre espaço para boas oportunidades
 03/06/16 - Feirão da Casa Própria começa hoje em São Paulo
 08/03/16 - Caixa passará a financiar até 70% de imóveis usados
 04/03/16 - Caixa volta a oferecer financiamento de imóveis mais barato
 02/03/16 - Veja quanto tempo leva para comprar um imóvel
 01/03/16 - FGTS reforça crédito da casa própria com mais R$ 21,7 bi
 14/01/16 - Nova fase do Minha Casa Minha Vida
 23/12/15 - Imóveis em São Paulo sobem menos que inflação, mas aluguel supera
 23/12/15 - O que fazer para evitar dívidas no financiamento imobiliário
 23/12/15 - 7 dicas para vender ou alugar seu imóvel mais rápido
 21/09/15 - Dilma diz que corte de gastos não afeta Minha Casa Minha Vida
 08/09/15 - 5 dicas para quem quer comprar um imóvel agora
 08/09/15 - 10 dicas para o casal conquistar a compra da casa própria
 08/09/15 - Aumento de 20% nos financiamentos joga lucro da Caixa para 3,5 bi
 08/09/15 - Governo libera R$ 730 milhões para pagamentos da faixa 1 do MCMV
 31/07/15 - Veja o que é importante saber antes de comprar a casa própria
 24/07/15 - Caixa anuncia linha para financiamento de até 85% do imóvel
 22/07/15 - BB vai financiar até 90% do valor da casa própria com juros de 9%
 06/07/15 - Governo prepara nova faixa de renda para o Minha Casa, Minha Vida
 26/06/15 - 4 passos para quem quer começar investir em imóveis para aluguel
 05/06/15 - Caixa calcula que medidas de incentivo terão impacto de R$ 10 bi
enviando...